Como um discurso de Neil Gaiman pode te ajudar a empreender


Como um discurso de Neil Gaiman pode te ajudar a empreender

Um dos vídeos que mais mexeu comigo desde que comecei a estudar sobre empreendedorismo foi o discurso de Neil Gaiman para os formandos da University of the Arts, no ano de 2012. Ele não tem muito a ver com o ato de empreender em si, mas pode ser valioso para desenvolvermos características cada vez mais capacitadas para isso.

O ponto é um só: você precisa fazer. O discurso do escritor, que por sinal é um dos mais bem pagos de todos os tempos, refere-se quase que unicamente ao incentivo aos jovens artistas. Eles precisam fazer arte. Seja em casa, na universidade, na rua, no escritório, na cozinha, na sala de espera de um consultório médico. Em todos os lugares.

No empreendedorismo, as coisas funcionam mais ou menos assim também. Não é preciso que haja um ambiente propício para uma ideia de ouro. Afinal de contas, todos são. O que é preciso é uma mente inquieta capaz de inovar nas coisas que nem sempre parecem querer um empurrãozinho para ficar melhores.

O empreendedorismo, para nós, deve ser exatamente como a arte para Neil Gaiman. Se encararmos esse discurso dessa forma, as lições podem ser valiosas.

Que o vídeo fale por si só:

E aí, o que de mais valioso você aprendeu com isso?

Se você não se achar pronto, faça como Gaiman e se desafie com uma cronologia invertida. Pense que fez, que pode, que deve. E então faça. O mundo foi mudado dessa forma. O iPhone não existiria se Jobs não achasse a Apple capaz de mudar o mercado de telefonia.




Por
11/04/2018

Assessor de imprensa da Gramado Summit e autor de ficção da Faro Editorial. Iniciou sua carreira na comunicação em 2014, passando pelas editorias gerais antes de chegar à tecnologia.


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!