Frete alto, produto atrasado e logística de entrega ruim? Uma startup tem a solução


Frete alto, produto atrasado e logística de entrega ruim? Uma startup tem a solução

O e-commerce é um modelo de negócio já consolidado e que consegue novos clientes a cada dia, são inúmeras opções de produtos e sites para buscar, comparar preços e encontrar o item desejado. São tantas opções que às vezes acabam transformando a hora da compra em uma jornada, depois do passo mais difícil, o de escolher o produto, chega a hora da maior decepção, o frete!

SIM, você já escolheu o produto, após horas de pesquisa, mas agora precisa acertar a entrega (salvo os casos que ganham frete grátis na compra), valores altos de frete que acabam tornando o valor final do produto altíssimo, ou prazo de entrega super extenso, são alguns dos problemas que podem induzir o consumidor a abandonar a compra.

A minha jornada pessoal de cliente e-commerce tem altos e baixos, desde compras bem sucedidas e entregas dentro do prazo combinado, desistências por causa dos valores de frete, produtos que comprei e demoraram tanto pra chegar que eu não lembrava mais da compra, até produtos que comprei e nunca chegaram. Mas certamente estas experiências não são particulares, quem nunca teve problemas com serviço logística e entrega?

Buscando solucionar o problema de um mercado que tem entristecido os consumidores, uma startup uniu logística e tecnologia para inovar a indústria de entregas, a Mandaê diz que “vai muito além do que o simples envio de encomendas: nós conectamos histórias”.

A Mandaê anunciou nesta semana uma nova rodada de aportes, na qual recebeu 7,1 milhões de dólares (na cotação atual, cerca de 25 milhões de reais). A rodada série B foi liderada pelo órgão International Finance Corporation, do Banco Mundial. A startup foi criada em 2014, atende atualmente empresas embarcadoras do estado de São Paulo. Os recursos desta rodada serão usados no projeto de expansão para outras regiões do Brasil e na aceleração do crescimento da empresa. Essa rodada coloca a Mandaê com o financiamento total de U$ 14 milhões. Os primeiros investidores incluem Valor Capital, Kima Ventures e Hans Hickler, ex-CEO da DHL Express USA.

Este é mais um caso onde uma startup entra na jogada com uma ideia inovadora em um segmento existente, oferecendo melhorias no serviço e desta maneira conseguindo se destacar em um mercado que tem um concorrente gigante. Com o crescimento do e-commerce as empresas do comércio eletrônico devem promover um transporte melhor, ou vão perder o comprador.  

A primeira opção de envio das empresas hoje é a Empresa Brasileira de Correios (a tal empresa que está no desgosto dos consumidores). A própria Mandaê afirma que os Correios são “parceiros” em algumas cotações, mas mesmo utilizando o próprio concorrente a startup consegue lucrar e tirar uma boa fatia do mercado da empresa por meio da competição.

Para os interessados em conhecer mais sobre a Mandaê, basta clicar aqui.




Por
11/05/2018

Jornalista graduado e apaixonado por comunicação! Conservador das boas práticas, aposto sempre em uma boa pesquisa, argumentos concretos e textos revisados (muitas vezes). Como jornalista atuei em rádio, TV, mídias digitais e impresso. Agora no time de comunicação da Rossi & Zorzanello Feiras e Empreendimentos estou em contato direto com grandes eventos, entre eles o FESTURIS e a Gramado Summit.


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!