Que tipo de pergunta você tem se feito?


Que tipo de pergunta você tem se feito?

No ecossistema de startups, nós falamos muito sobre a resolução de problemas. Para os nossos clientes, é importante que façamos de um modo que ninguém fez para eles até então. Ou, que identifiquemos uma dor e apresentemos seu antídoto. E, no fim, isso determina a sobrevivência ou a morte precoce das nossas empresas.

Correto?

Sim. Mas, não só nisso pode limitar-se a nossa percepção de mercado.

Recentemente, Jennifer Rettig, recrutadora responsável por contratar o time da Apple responsável pelo iPod, divulgou uma lista de quatro dicas para ajudar na formação de novos times e na contratação de cargos de gerência, tudo baseado na capacidade de estar aberto a novas mentalidades. Ela conta que, depois de excluir todos os perfis de profissionais que atuavam nas principais empresas de tecnologia, resolveu recorrer às marcas que apreciava e encontrou na Range Rover o perfil ideal para tocar um projeto da Apple. Curioso, né?

Além disso, ela deixou uma série de perguntas que podem mudar o modo como conduzimos nossas startups depois de responder elas. Com a liberdade, tomei a iniciativa de adaptá-las um pouco à nossa realidade:

  • Por que estamos fazendo isso?
  • Em que lugar esperamos que nossos clientes estejam? Onde nós queremos estar?
  • Por que as pessoas/empresas precisam de mim agora?
  • Como eu me porto diante dessas pessoas? Como interajo com elas?
  • Eu sou realmente excelente no que faço?
  • O que eu espero de mim nos primeiros seis meses? E no primeiro ano?
  • Quem resolve esse problema realmente bem? Quem aparece na imprensa?
  • Quem eu admiro? Como essa pessoa faz o que que faz?
  • Eu estou resolvendo melhor que os outros o problema que me proponho?
  • Como eu sei que minha startup não está fora do tempo?

Parece simples, né? Mas não é. Um dos passos mais difíceis no início de qualquer projeto é definir o que ele é e o porquê de realmente ser útil. Saber isso é fundamental antes de sentar para um reunião com investidor ou cliente, por exemplo. Apesar de nunca termos realmente certeza de tudo, é bom estar encaminhado. E essas perguntas são o primeiro passo para se auto localizar melhor.

Rettig estabeleceu um método que passa por uma série de perguntas para encontrar os executivos ideais para seus projetos. Nós devemos usar esse exemplo para aplicar algo semelhante na vida das nossas empresas. Talvez, o primeiro problema que devemos resolver seja esclarecer quem somos para nós mesmos.

E aí, que tipo de pergunta você tem se feito?




Por
14/02/2018

Assessor de imprensa da Gramado Summit e autor de ficção da Faro Editorial. Iniciou sua carreira na comunicação em 2014, passando pelas editorias gerais antes de chegar à tecnologia.


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!